Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31
arquivos
2014
2013
2012
2011
2010
2009
Posts mais comentados
15
Jan
10


14 de janeiro de 2010 (Bibliomed). Ajudar outras pessoas pode fazer bem para a própria saúde. Segundo estudo recente da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, participar de trabalhos voluntários pode ajudar a prevenir a fragilidade e a incapacidade na velhice. A fragilidade é uma condição geriátrica marcada por perda de peso, baixa energia e força e pouca atividade física. E os resultados do novo estudo mostram que o voluntariado pode trazer benefícios contra essa condição.

Os pesquisadores avaliaram mais de mil adultos saudáveis com idades entre 70 e 79 anos no período entre os anos de 1988 e 1991, visando determinar se atividades produtivas – especificamente o voluntariado (28% dos participantes), o trabalho pago (19%) e cuidar de crianças (25%) – poderiam prevenir o início da fragilidade no idoso.

Após três anos, os participantes de todas as três atividades apresentaram serem menos propensos a se tornarem "frágeis". Considerando os níveis de atividades físicas e a função cognitiva dos idosos, os pesquisadores descobriram que apenas aqueles que faziam trabalhos voluntários apresentavam as menores taxas de fragilidade.

Em artigo publicado recentemente no Journal of Gerontology: Social Sciences, os pesquisadores destacam, porém, que um teste randomizado é necessário para determinar se o voluntariado por si só pode evitar o início da fragilidade, ou se há algo relacionado ao estilo de vida das pessoas que se engajam em trabalhos voluntários que os mantêm mais distante de ficarem debilitados na velhice.

Fonte:Journal of Gerontology: Social Sciences. 16 de dezembro de 2009.

 

 

publicado por Drª Catarina Cunha às 10:27
|  O que é? | favorito
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
BoasOnde posso comprar a batata yacon em Portugal?...
Gostei muito do artigo porque fala do impacto da a...
excelente artigo! muito obrigado, todos estamos su...
Como ninguém comenta... Eu concordo plenamente. Ma...
Não entendo como os pais podem alimentar as crianç...
blogs SAPO